Quanto custa um político na Suécia?

Refletindo sobre os inúmeros privilégios dos políticos no Brasil, me deu uma enorme vontade de saber como funcionava na Suécia (que é um sonho dourado de várias coisas).

Aqui pagamos seu carro, gasolina, sua casa luxuosa, seus assessores, etc…E não é necessário nem enumerar, porque são tantos absurdos que nos constrangem.

Só a título de exemplo, chegamos a comprar dois guardanapos por R$ 840,00 (!). Um salário mínimo por dois guardanapos de pano. Essa obra veio do senado federal (veja aqui).

Bom, isso por si já é uma chacota com o povo.

Na Suécia, acredite, os políticos andam de ônibus. A população fica horrorizada quando eles gastam dinheiro do contribuinte para pagar um taxi.

Políticos não são chamados de excelência, excelentíssimo… são servidores públicos. Pessoas comprometidas com o bem público. Pessoas comuns.

Seus salários? Apenas 50% a mais que um professor primário!

E no Brasil? Um único vereador chega a custar aos cofres públicos quase R$160 mil. Ao ano? Não, ao mês. (veja aqui).

Esse não é tema principal desse blog. Mas fiquei curiosa: Quanto custa um político na Suécia?

Sabe quanto custa um politico na Suécia? Pasmem: 6% do que custa aqui. O orçamento Sueco para um politico brasileiro só pagaria 23 dias de seu trabalho. Essas são informações de um estudo da ONU de 2013.

MONUMENT (1)

Após ler vários relatos de como eram tratados como pessoas comuns, cheguei a conclusão de que eles valem realmente o que são. Pessoas comuns. Trabalhadores comuns.

Políticos na Suécia valem o preço do princípio da igualdade social que prevalece naquele país.

Enquanto funcionários públicos estiverem em  uma sala que a faxineira ganha 15 vezes menos do que esse cidadão, e isso for normal, os privilégios aos políticos não cessarão.

Mas, eu só queria mesmo saber quanto custa um politico na Suécia.

 

Comments

comments

5 comentários em “Quanto custa um político na Suécia?

  1. Boa postagem Ester, espero que o órgão deixe você voltar e comentar coisas desse tipo. Que tal abordar também nosso querido judiciário? Abraços.

  2. A cultura do brasileiro não assimila isso aí. O povo não foi e nem é educado para questionar esse tipo de coisa. O povo está mais preocupado com os gastos dos clubes de futebol, salários de jogadores e técnicos, do que com os gastos do governo. Infelizmente nosso país não tem jeito a curto e médio prazo. Para piorar, o sistema político não permite que este quadro seja mudado. Os próprios poderosos é que ditam a regra do jogo. Resumindo: estamos perdidos no meio do circo.

    • São questões culturais principalmente. A Suécia também possui uma democracia madura e bem consolidada. Pode-se dizer que é uma trajetória construída ao longo de sua História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *